Olheiras (Dark Circles). Porque as temos e como lidar com elas

Felizmente não é mal de que padeça habitualmente, mas as olheiras são definitivamente difíceis de “tratar” e com base em várias pesquisas que fiz em sites de medicina estética e cosmética, pouco há a fazer apenas com produtos cosméticos. A ser verdade, poderemos estar a ser vítimas de má informação por parte das marcas que afirmam que os seus cremes possuem efeito anti-olheiras.

As causas das olheiras vão muito além das noites mal dormidas e/ou cansaço como habitualmente se imagina e, para lidarmos da melhor forma com as mesmas, devemos antes de mais, descobrir a sua origem:
Factores hereditários são, numa grande parte das vezes, os principais responsáveis pelas manchas escuras que nada mais são do que pequenos vários vasos sanguíneos (azulados), muito finos, visíveis através da pele particularmente fina nesta zona do rosto (com apenas cerca de 0,5 mm). Quanto mais claro for o tom de pele, mais visíveis serão os vasos e, factores como o stress, má alimentação, cansaço, tabaco, entre outros, poderão interferir com o normal funcionamento dos vasos sanguíneos, reforçando a visibilidade dos mesmos.
Ainda dentro dos factores hereditários, o excesso de pigmentação nesta zona do rosto (dentro de vários tons possíveis) poderá ser também uma das causas para as olheiras.

Idade. A idade por si só não é responsável pelas olheiras mas, com o passar dos anos, a maior ausência de colégio na pele, faz com que esta fique mais fina e consequentemente os finíssimos vasos sanguíneos passem a ser mais visíveis.

 –Alergias, asma e eczema – Qualquer condição que provoque prurido na área dos olhos pode fazer deposição de pigmento na região.

Para “disfarçar” as olheiras provocadas pelas alterações dos vasos sanguíneos, será necessário o preenchimento desta zona através de cirurgias ou outros tratamentos de medicina estética. Neste caso, os produtos cosméticos não têm qualquer efeito.
Os ingredientes que ajudam no preenchimento da pele (como o Colagéneo por exemplo) poderão (e deverão) ser tidos em conta na escolha de um creme para esta zona, mas as expectativas NÃO deverão ser altas. Exemplo de creme para olhos anti-olheiras com colégio: Regenerist Luminous Dark Circle Correcting Hydraswirl da Olay, à venda online no site da marca ou na Boots por cerca de 19,99 Libras (com desconto), ao que correspondem cerca de 27,32€. Se forem a uma perfumaria procurem o Colagénio nos ingredientes.
Produtos conservados no frigorífico e as famosas rodelas de pepino (ou discos embebidos em água termal por exemplo) poderão ajudar a diminuir a dilatação dos vasos (pela temperatura baixa) mas, mais uma vez, não falamos de um tratamento.

olheiras-profundas_

Para se “tratarem” as olheiras resultantes de factores genéticos responsáveis por um aumento da pigmentação na referida zona temos: os laser, luz pulsada e alguns cremes clareadores (que dificilmente serão eficazes isoladamente mas que deverão pesar na escolha de um creme).
Produtos com DIACINAMIDA (Vitamina B3) e ASCORBIC ACID (Vitamina C) bem como: SODIUM ASCORBYL PHOSPHATE, ASCORBIL PALMITATE, RETINYL ASCORBATE, TETRAHEXYLDECYL, ASCORBAT e MAGNESIUM ASCORBYL PHOSPHATE (todos derivados da Vitamina C, embora em menor quantidade), serão os mais adequados. Exemplo de um produto com Vitamina C na sua composição: Redermic C Olhos, da La Roche Posay, à venda em Farmácias ou na Skin.pt por cerca de 26€ (em promoção à data). Nota: Este creme não contém proteção contra radiação UV, pelo que este deverá ser aplicado após o creme.

Para “prevenir/tratar” as olheiras resultantes de pruridos ou outros sintomas que levem a esfregar os olhos de forma repetida, deverá tratar-se a causa com um anti-histamínico por exemplo, se se tratar de alergias.

Seja qual for a causa, a proteção solar é fundamental (e atenção porque uma grande parte dos produtos para os olhos não contém proteção solar) e no caso dos cremes de olhos devemos optar por ZINC OXIDE ou TITANIUM DIOXIDE para este fim. O uso de óculos de sol será o passo seguinte (concomitante). Vejam o exemplo do Superdefense SPF 20 Age Defense Eye Cream da Clinique sobre o qual já falei aqui no Blogue.
Os óleos de origem vegetal usados como fragrâncias e COMOMETHYLDIHYDROJASMONATE e AMBRETTOLIDE devem também ser evitados nos cremes e séruns que se colocam na zona ocular (e de uma forma geral, no resto do rosto) sob pena de poderem desencadear irritações.

Por fim, os concealers/correctores, servem para disfarçar as olheiras e/ou produtos de tratamento com partículas luminosas ajudarão a disfarçar as marcas escuras. (Não se esqueçam que a cor das olheiras é variável, logo o concealer/corrector deve ser escolhido em função do tom das mesmas e no caso do beije não deve ser muito mais claro do que o nosso tom de pele – o mesmo tom ou um tom abaixo será o ideal). Em casos mais graves, o amarelo, roxo, verde e laranja poderão ser os mais adequados dependendo do tom da olheira, antes do tradicional beije). Para peles mais maduras, com muitas rugas instaladas, não aconselho de todo a utilização de um corrector. Nesses casos será preferível passar mais uma ou duas camadas finas de base e evitar iluminadores com brilho.

Ao mesmo tempo, os concealers NÃO devem ser muito espessos sob pena de poderem “aumentar” a percepção das rugas, e certamente não queremos “envelhecer” para disfarçar as olheiras, certo? Pessoalmente prefiro os líquidos para um efeito mais natural.

olheiras-antes-depois-500x500

A evitar: Corrector demasiado claro, excesso de produto e NÃO esbater bem (é bom não fazermos más figuras… LOL). O ideal é aplicar o corretor junto a uma janela por exemplo (ou com uma boa luz à noite) e esbater bem com um bom pincel adequado. Depois de espalhar bem com os dedos, gosto de usar dois pincéis Duo fiber da MAC.

Nota Final:
Com excepção do Superdefense SPF20 Age Defense Eye Cream da Clinic, não experimentei nenhum dos produtos de tratamento mencionados. Referi os mesmos por terem sido alvo de muito boas críticas internacionais mas não posso dar a minha opinião pessoal sobre os mesmos até porque, não sofrendo de olheiras (pelo menos não mais do que é normal), não faria muito sentido usar produtos especialmente indicados para esse fim.

Espero que tenham gostado do post e que possa ajudar-vos 😉

Digiprove sealCopyright secured by Digiprove © 2015 Lara F.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

error: Content is protected !!